sexta-feira, 8 de abril de 2011


Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada.
Clarice Lispector

2 comentários:

  1. Oi, Mayara, boa noite!!
    Eis uma posição desafiadora, sempre tomada por Clarice, diante da vida! Ninguém poderá dizer que ela não fosse exatamente o que diz aqui. Não acomodar-se às verdades estabelecidas e inventar suas próprias verdades, realidades e reações não deixa de ser um grande desafio, caminho normalmente só seguido pelos revolucionários, pelos inconformados por chegar e achar um padrão já estabelecido, um prato já feito.
    Muito bom o texto.
    E a imagem está maravilhosamente identificada.
    Encantado.
    Um abraço carinhoso
    Marcelo Bandeira

    ResponderExcluir